Snake Print

Venenosa!

Quem? O que?
Naomi Campbell veste estampa de cobra num vestido de Alexander McQueen.
Onde?
2010 Elle Style Awards no Grand Connaught Rooms em Londres.

Nas fashionistas mais descoladas que frequentam os eventos mais importantes:

A Snake Print também aparece nas passarelas da Missoni e Prada

Essa estampa SUPER engorda, ainda mais se o corte da calça for mais larguinho, molengo e você não for uma top model.

Então,

Se você for SUPER magra, tiver pernas longas e finas:

Se você é uma pessoa normal, opte pelos tecidos vaporosos.

Pra não ter erro, escolha tecidos estruturados e alfaiataria.
E prepare o bolso. 😉

 Vestido e jaqueta Karen Miller.
LU$HO!

E que tal usar pra ir pra academia?
A Track n Field estava oferecendo até pouco tempo atrás essas peças:

Gostou? Então coooorre que ainda deve dar tempo de comprar.
Por que na Track N Field  acaba rápido!

Aí, gata, você pode ficar com um corpão e fazer inveja por aí.

Um acessório nunca faz mal.

Arrase e fique LINDA!

São sempre legais.

Aproveitando mais um gancho pra falar de estampas… pensei nas estampas e padronagens que sao hits, podem ser encontradas tanto nas passarelas quanto nas mais diversas araras de lojas.

Fazem um estilo super cool e proporcionam frescor ao armario.

Tartan e Xadrezes

tartan

xadrez_passarela_review

Esse tipo de padronagem era muito apreciado pela rainha Vitória, que frequentava as highlands escocesas e foi responsável pela popularidade do Tartan na segunda metade do século XIX. No século XX, saias e calças de tartan surgiram nas passarelas de Moda.
O xadrez (check) foi criado  por proprietários de terra na Escócia, durante o século XIX, como alternativa para o Tartan, considerado inadequado ao uso diário ou ao trabalho. Foi adaptado de tecidos locais, baseando-se nas cores e no padrão do tartan. Era também comum lançar o tecido xadrez como padrão comemorativo. Durante o século XX, o xadrez foi, a princípio, usado em ternos e casacos masculinos, ficando logo popular para mulheres  em costumes, mantôs, vestidos, saias e, na década de 60, calças.

Existe também um tipo de xadrez chamado Vichy que tem um peso leve ou médio, a princípio feito de linho e depois de algodão. É um tecido com fios tintos, em xadrezes de tamanhos diferentes.  O xadrez Vichy foi popular para vestidos de verão durante o século XIX e entrou em moda nas décadas de 40 e 50 para vestidos, blusas, saias, playsuits e biquinis.

xadrez_vichy

By the way, honey, essa padronagem é uma das apostas fortíssimas pra esse verão que está rolando. Uma dica minha é dar uma conferida no catálogo de verão da Richards. Mixed Prints em bikinis maravilhosos.

Pied de Coq

Fazenda tecida em xadrez regular, com os quadrados separados. Desde o final do século XIX, é muito usada em peças externas, paletós, saias, tuxedos, trousers e afins.

Animal Prints

Sabia que as listras pretas e brancas das zebras possuem função de camuflagem? Segundo biólogos, elas servem pra despistar seu principal predador, o leão. As linhas onduladas de uma zebra se misturam às linhas onduladas da grama alta em torno dela. Não importa se as listras das zebras sejam pretas e brancas e as linhas da grama sejam amarelas, marrons ou verdes, pois o leão, não enxerga em cores.

Mas, contraditóriamente, suas listras ajudam a se identificarem.

prints_01

Paisley

paisley_01

É o nome de uma cidade escocesa que, durante o século XIX, ficou famosa pela produção de um tecido de lã penteada. Como os xales de cashemira da Índia entraram em moda, as indústrias de Paisley adaptaram o motivo cônico tecendo-o em grandes xales quadrados em tons vermelhos e marrons. Esse padrão específico ficou conhecido como Paisley e foi usado principalmente em xales e robes no século XIX e no início do século XX. Na década de 80, o paisley voltou à moda, inclusive em meias-calças, saias, vestidos, batas, saias, bolsas e bandanas super incríveis usadas por rock stars de Glam Rock.

Argyle

argyle_01

Padrão de losangos multicoloridos (inspirado no tartan do clã escocês Argyle) outrora tricotado á mão na Grã-Betanha, mas hoje feito à máquina em todo o mundo. O padrão Argyle é mais frequentemente encontrado em meias, cachecóis e suéteres. É um clássico.

Quadriculado

Podem sugerir a azulejos de casas antingas de interior ou à pisos de lanchonetes da década de 50 onde as garçonetes usavam saias godês bem rodadas e camisetinhas pólo ou sociais.
Lembram também as bandeiras de chegada das pistas de fórmula 1 e atualmente aparecem no chão e paredes de clubinhos underground.